quarta-feira, 20 de maio de 2015

Volmir Coelho lança o 4º disco de sua carreira


Matias Moura
radiofronteiragaucha.com
bahstidores.com


CD Metade Sul

Em 2015 Volmir Coelho lança seu 4° disco de forma independente, intitulado Metade Sul , um trabalho maduro que mostra uma diversidade de temas e parcerias que estiveram presentes em grandes festivais nos últimos anos .Para o cantor é uma satisfação muito grande poder gravar o quarto disco de sua carreira ." A ideia desse disco é apresentar ao público temas campeiros , mas também composições que retratem o nosso dia a dia de povoeiros , e o título é uma homenagem a todas as pessoas que assim como eu um dia saíram do campo e vieram para a cidade deixando uma metade lá no campo .


Repertório do CD Metade Sul.

1- Antes de Ti – L e M – Volmir Coelho
2- Por Não Saber Ler – L - Volmir Coelho e Othelo Caiffo M - Volmir Coelho e Nirion Machado
3- Da Estância da Guarita – Le M - Volmir Coelho
4- Três Ramal e Alecrim - L Volmir Coelho e Othelo Caiffo – M - Volmir Coelho
5- A Lição - L Volmir Coelho e Othelo Caiffo - M- Volmir Coelho
6- A Última Recorrida – L – Joel de Freitas Paulo e Othelo Caiffo – M - Volmir Coelho
7- Do mesmo bando - L Volmir Coelho e Othelo Caiffo – M - Volmir Coelho
8- Sabino Cruz – L e M – Volmir Coelho
9- Carreta , Templo e Galpão - L Volmir Coelho e Othelo Caiffo – M - Volmir Coelho
10- Quando um Mate Traz Saudade – L - Giba Trindade -  M - Volmir Coelho
11- Meu Tempo Virou Saudade – Wilian Machado – M- Volmir Coelho e Nirion Machado
12- Coplas pra Don Picancho – L – Luis Rosado e Calos Hahn – M - Volmir Coelho


Compre já o seu.

Para adquirir o CD Metade Sul basta entrar em contato com o cantor através do  telefone (55) 9654-4634 ou então faça o seu pedido por e-mail volmir_coelho@hotmail.com . Para os moradores de Santana do Livramento o disco está a venda na Rua Thomas Albornoz número 1108 , bairro centro , prédio da antiga Rádio Maratan . Garanta já o seu !

Curta a nossa Fan page www.facebook.com/VolmirCoelho
Acesse o Blog www.volmircoelho.blogspot.com.br
Contato para Shows - volmir_coelho@hotmail.com


Mais de 20 anos dedicados aos festivais nativistas



O cantor e compositor Volmir Coelho é natural de Santana do Livramento e atua no cenário da música nativista há mais de 20 anos quando começou sua trajetória musical acompanhando artistas como Adair de Freitas e Nelson Cardoso.

Participante ativo dos festivais , teve suas composições e interpretou outras que foram  premiadas em alguns dos maiores eventos do gênero , como Reponte da Canção (São Lourenço do Sul), Um Canto para Martin Fierro(Santana do Livramento), Gauderiada da Canção (Rosário do Sul) Reculuta da Canção (Guaíba), Estância da Canção Gaúcha (São Gabriel) , Sapecada da Canção Nativa Lages , Coxilha Nativista , Cruz Alta , Vigilia da Canção Gaúcha , Cachoeira do Sul , Tertúlia da Canção Nativa e Minuano da Canção ( Santa Maria ) , Sentinela da Canção Nativa ( Caçapava do Sul ) Canto Farroupilha de ( Alegrete ) Estância da Canção Gaúcha ( São Gabriel ) Ponche Verde da Canção Gaúcha ( Dom Pedrito ) entre outros. Em suas composições, retrata o dia-a-dia do homem no campo, unindo a isso temáticas sociais, como nas composições: A Porta, O “M” das Mãos , De Santa Fé , Poema Rabiscado Semaneiro , Passo das Catacumbas , Loco de Mau , Ritual de Tropa Larga , Mala Suerte , Remalhado , O Pouso , Vila Real , Lá Pro Quinto Distrito , De Campo e Raiz ,  entre outros temas que tem a sua assinatura além de diversas parcerias musicais .

Já atuou como jurado no Reponte da Canção de São Lourenço do Sul , Tertúlia Nativista de Santa Maria , Gauderiada da Canção Gaúcha , Rosário do Sul , Ponche Verde , Dom Pedrito , Estância da Canção Gaúcha , São Gabriel , Um Canto para Martin Fierro , Livramento , Galponeira e Canto Sem Fronteira em Bagé entre outros .

Em 2007 teve seu primeiro CD lançado de forma independente “De Campo e Raiz” com todas as composições, letra e música de sua autoria.
Em 2011 lançou seu segundo trabalho intitulado “Seguimento”, com composições próprias . Em 2014 , lançou uma coletânea trazendo as suas composições de festivais nativistas , intitulada Volmir Coelho Nos Festivais .

terça-feira, 12 de maio de 2015

Show Mandando Lenha



No final do mês passado (28/04) falamos aqui na página do show de “Mandando Lenha”, disco em que Bebeto Alves interpreta apenas músicas do compositor regionalista Mauro Moraes. O fato inusitado é que 18 anos depois de seu lançamento, pela primeira vez veremos um show de Bebeto apresentando na íntegra do CD lançado em 1997. Ao longo dos anos, “Mandando Lenha” virou disco de cabeceira de muita gente, e por mais incrível que pareça, nunca ouve uma única apresentação de Bebeto com o repertório completo desse trabalho.

Convidado pelo produtor argentino Carlos Villalba, a première de um espetáculo inédito ganhará luz no dia 28 de junho, em Buenos Aires, quando o show fará o lançamento de um novo centro cultural na capital portenha. No palco, além de Bebeto, lá estarão Clóvis ‘Boca’ Freire (baixista do álbum) e Marcelo Caminha (violonista de ‘Milongamento’, disco que sucedeu ‘Mandando Lenha’). Outra boa nova é que e esse mesmo show estreará em terras gaúchas no dia 13 de agosto, às 20h30min no Centro de Eventos do Hotel Itaimbé.

Mauro e Bebeto. Foto: divulgação.

Marcelo Caminha lança DVD INFLUÊNCIA


O talento do violão gaúcho, Marcello Caminha, faz show de lançamento do DVD INFLUÊNCIA, no dia 09 de junho, às 20 horas, no Teatro do SESC (Av. Alberto Bins, 665 – Centro Histórico). A Entrada é Franca com arrecadação de agasalhos. Além de Marcello Caminha no violão, o show conta com os músicos Matheus Kleber (piano/acordeon), Ariel Vicente (violão), Jonas Cândido (violão), Marcello de Macedo (contrabaixo) e Marquinhos Molinari (percussão).

INFLUÊNCIA é o segundo DVD do músico e compositor Marcello Caminha. Com 14 faixas, a maioria delas compostas por Marcello Caminha, o DVD é todo instrumental e registra em vídeo o projeto homônimo iniciado em 2008 com o CD gravado em estúdio, o qual recebeu três prêmios Açorianos. INFLUÊNCIA foi gravado em abril de 2014 na capital gaúcha.

#TeAbraçaRioGrande em Santa Maria



“TE ABRAÇA RIO GRANDE” 
(#TeAbraçaRioGrande)

Amigo artista, estamos impulsionados por uma vontade coletiva de fazer “NOSSO CENÁRIO ARTÍSTICO” se constituir, se identificar, se remodelar e se encontrar! E, para isso, estamos mobilizando “TODA NOSSA CLASSE” para que busquemos o CAMINHO!

Da intenção desse “MANIFESTO”, nasceu o “TE ABRAÇA RIO GRANDE”, movimento que acontecerá, já em sua 2ª edição, no dia 04 DE JUNHO/2015, NO “SALÃO DE ATOS” DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA/RS.
Entre as 14:00hs e as 20:00hs, esse importante espaço de Santa Maria, será a casa de músicos, compositores, cantores, produtores, críticos musicais e autoridades, para que estejamos reunidos com a “MISSÃO” de cada um registrar, também em “VÍDEO”, suas sugestões, inquietações, alternativas, dúvidas, etc. 
Com esse material, elaborado, teremos subsídios para que nos leiamos, nos estudemos, nos analisemos, para seguirmos em busca da batida perfeita na solução das “MAZELAS” que acometem nosso contexto profissional e artístico e melhoremos nossa percepção e “NOSSO CENÁRIO”!

ENTÃO... PRECISAMOS DE TI! 

... Que, assim como a gente, quer fazer acontecer nesse momento! Passa lá no SALÃO DE ATOS DA PREFEITURA, no dia 04 de Junho (das 14hs às 20hs), que estaremos te esperando com mate pronto, sorriso franco, prosa buena e, um a um, VOCÊS, PROTAGONISTAS da nossa arte regional, deixarão suas contribuições para a montagem desse documentário.

“O NOSSO MANIFESTO ESTÁ FORMADO! NOSSA IDEOLOGIA SE AMOLDANDO! É NECESSÁRIO QUE CONTEMOS COM O ESFORÇO DE TODOS PARA QUE O PRIMEIRO PASSO SEJA FIRME E NÃO NOS PERCAMOS PELA FALTA DE FORÇA!”

VAMOS?

Serviço: “TE ABRAÇA RIO GRANDE” 
Quando: Dia 04 de Junho de 2015 (Quinta-feira/Feriado).
Que horas: Das 14hs às 20hs. 
Local: Salão de Atos da Prefeitura Municipal 
(Rua Venâncio Aires, 2277, ao lado do Parque Itaimbé)

Contatos: 55-9648. 6480 / 51-8050.4379 (Jean)
55-9712.1727 (Oristela)
55-9624.4177 (Analise)
51-8516.4926 (Thiago)
53-9928.2226 e 53-91087697 (Alessandro)
51-8539.4418 (Cleverson)
55-9978.6070 (Pirisca) 

Fonte : Jean Carlo Kirchoff

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Monumento a Noel Guarany


A Confraria do Icamaquã, de Bossoroca, informa que está em pleno vigor a campanha para construção do Monumento a Noel Guarany onde o conjunto da escultura terá sete metros de altura (quatro metros da estátua, mais três metros do pedestal).

Faça parte desta história

Divulgue para sempre o nome de sua empresa ou o seu, com direito a uma placa no pedestal (R$ 500,00). Ganhe um belo certificado e seja um dos seletos.

Apoiadores Culturais

Ou seja um colaborador (R$ 50,00) e adquira um belo certificado.

Participe desta homenagem a Noel Guarany uma das maiores referências culturais do nosso Estado. Para doar ligue para 55 99765144, com Paulo Urach.

Fonte : http://www.radiosaoluiz.com/noticias/ver/cat/29/id/11914/um-simbolo-para-o-rio-grande-do-sul-monumento-a-no.html

"Fragmentos" João Gabriel Rosa

Postado por Matias Moura
bahstidores.com
“Fragmentos” é o primeiro álbum do violonista João Gabriel Rosa. O trabalho demonstra a proximidade do artista com sua música de raiz: as melodias e harmonias apresentam grande influência dos gêneros populares do sul do país, como chamamés, milongas e chacareras. Os arranjos trazem para a música ares modernos, complementando a mistura entre o tradicional e o contemporâneo.
João Gabriel Rosa instrumentista e compositor, nascido em São Joaquim iniciou seus estudos de violão aos 11 anos de idade com Vanderlei da Silva Xavier, musico popular que ensinou seus primeiros acordes e também com quem começou a subir nos palcos por primeira vez. Depois passou a aprender teoria na escola de musica Villa-Lobos com o compositor Alexandre Bueno. Participou de oficinas sobre “violão gaúcho” com Marcello Caminha, oficina sobre violão popular em Ourinhos/SP com Alessandro Penezzi  e sobre Arranjo também em Ourinhos/SP com Cristóvão Bastos.
CD Fragmentos

 Pra que isso
João Gabriel Rosa (violão)
Acalanto
João Gabriel Rosa (violão)
Renan Netto (cordeona)
João Paulo Czarnecki (piano)
Carlos Lamarque (baixo elétrico)
Rafael Floriani (percussão)
Formiga Ruiva
João Gabriel Rosa (violão)
João Paulo Czarnecki (piano)
Carlos Lamarque (baixo elétrico)
Rafael Floriani (bateria e percussão)
Participação especial:Rodrigo Velho (pandeiro)
Inhaduvá
João Gabriel Rosa (violão)
Renan Netto (cordeona)
João Paulo Czarnecki (piano)
Carlos Lamarque (baixo elétrico)
Rafael Floriani (bateria e percussão)
Pampa
João Gabriel Rosa (violão)
Renan Netto (cordeona)
Carlos Lamarque (baixo elétrico)
Rafael Floriani (percussão)
Lapso
João Gabriel Rosa (violão)
Noite Norteña
João Gabriel Rosa (violão e guitarra semi-acústica)
João Paulo Czarnecki (piano)
Carlos Lamarque (baixo elétrico)
Rafael Floriani (bateria e percussão)
Participação especial:Alexandre Bueno (clarinete)
Tanguero
João Gabriel Rosa (violão e guitarra semi-acústica)
João Paulo Czarnecki (piano)
Carlos Lamarque (baixo elétrico)
Rafael Floriani (bateria e percussão)
La Polca
João Gabriel Rosa (violão e guitarra semi-acústica)
João Paulo Czarnecki (piano e voz)
Carlos Lamarque (baixo elétrico)
Rafael Floriani (percussão)
Participação especial:Jessica Pimentel de Liz (voz)
Hasta Luego
João Gabriel Rosa (violão)
Nostalgia
João Gabriel Rosa (violão)
Renan Netto (cordeona)
Gravado nos estúdios Flor y Truco (Quinto Oliveira) e Estúdio RF (Rafael Floriani)

terça-feira, 31 de março de 2015

Volmir Coelho está trabalhando na produção do seu quarto disco .


Postado por Matias Moura

Em breve os fãs e admiradores do cantor nativista Volmir Coelho , terão a oportunidade de adquirir o seu novo disco intitulado Metade Sul , que está sendo produzido e promete chegar as melhores lojas do ramo ainda no primeiro semestre de 2015. Para o cantor é uma satisfação muito grande poder gravar o quarto disco de sua carreira ." A ideia é fazer um disco que terá musicas campeiras , mas também composições que retratem o nosso dia a dia de povoeiros , quando viemos para a cidade deixamos uma metade lá no campo , e a outra está aqui pelas ruas e avenidas " .

Cantor Lageano Arthur Mattos lança seu segundo trabalho intitulado Oração do Campo

Postado por Matias Moura
bahstidores.com

É uma graça descender de avós que batalharam para construir uma cultura forte e com suas mãos mantiveram seu chão fértil, rico no brotar do trigo, manso no florir das laranjeiras! Um nos traz o pão, outro faz do rigoroso frio do inverno no branco das geadas a doçura pro seu suco.

Gente antiga, de costumes rudes, porém sinceros que num simples olhar refletiam tudo aquilo que traziam em seu coração, gente que desgarrou de seu campo, pra ser campo e raiz em outras geografias, raiz de uma a árvore grande que ainda nos abriga e nos traz um ar antigo limpo e benéfico a alma, que carrega os anseios de antes mantidos por nós nos dias de hoje.

Assim é Oração do Campo, o mais recente trabalho de Arthur Mattos! Com a simplicidade e a rusticidade de um homem terrunho, campeiro, galponeiro, de raiz! Neste novo CD, fruto de dois anos de preparação, Arthur mostra o seu amadurecimento como arranjador, compositor e principalmente demarca seu lugar como uma das mais belas vozes da nossa música!

Repertório do CD Oração de Campo.

1-Quando o Aço da Tesoura perdeu o fio pra tosquia – L: Gujo Teixeira - M: Cristian Camargo 
2- O beijo da malacara – L: Rafael Ferreira M: Arthur Mattos e Marcelo Oliveira
3- Cismas de inverno grande – Miguel Cimirro (in memoriam) M: Cristian Camargo
4- Oração do campo – L: Alex Silveira M: Marcelo Oliveira
5- O Desenho da Flor – L: Rafael Teixeira Chiapetta M: Cristian Camargo 
6- Pelo espelho do rio – Mateus Neves da Fontoura M: Marcelo Oliveira
7- O Quero-Quero e o Açude - L: Fernando Soares,Cristian Davesac M: Juliano Gomes,Cristian Camargo e Marcelo Oliveira)
8- Colorado Braga pampa - L: Rafael Ferreira M: Arthur Mattos
9- Mais um bagual vende garras – L: Lisandro Amaral M: Cristian Camargo
10- Jeito Gaúcho – L: Cristian Davesac M: Marcelo Oliveira
11- Eu ( Meu tempo e Meu Canto) – L: Fabio Maciel M: André Teixeira e Jari Terres
12- Além da marca das tesouras – L: Mateus Neves da Fontoura M: Marcelo Oliveira
13- Refrão do Clarear do Dia – L e M: Fabiano Bacchieri
14- Sobre cavalos e ventos - L: Gujo Teixeira M: Cristian Camargo
15- Feito uma trança – L: Sergio Sodré Pereira M: Marcelo Oliveira

Arthut Mattos é participante ativo dos festivais nativista do Rio Grande do Sul e Santa Catarina , tem sido premiado em muitos deles como melhor interprete.

domingo, 15 de fevereiro de 2015

De estradear nas Pedras



Por Matias Moura
Bahstidores

O cantor e compositor Alex Har Oliveira , é uma das novas revelações nos palcos dos festivais nativistas do estado , tendo participado de um número muito expressivo de eventos, destaque para as participações no festival de fronteira Um Canto para Martin Fierro , Ponche Verde da Canção Gaúcha , Levante da Canção Gaúcha , Sapecada da Canção Nativa , Estância da Canção Gaúcha ,Canto Missioneiro , Canto de Luz entre outros . 
Natural de Santana do Livramento,  começou a cantar desde cedo  ,mas foi em 2007 com o incentivo dos amigos que ingressou nos festivais de música e de lá  para cá conquistou inúmeros prêmios como melhor interprete e compositor . Além de cantor Alex Har é radialista formado, e apresenta aos sábados e domingos , das 6h as 8h , em parceria com Claudio Silveira o programa Estampa do Meu Pago na Rádio Cultura AM , com uma programação voltada para a produção musical dos festivais nativistas  .

De Estradear nas Pedras


Recentemente o cantor esteve participando das gravações de um Clip  da música de “Estradear nas Pedras” que faz parte do álbum “Bagualles” Um canto de amor a terra de Juan Daniel Isernhagen que reúne grandes nomes do cenário musical nativista.

A composição é de autoria de Juan Daniel Isernhagen juntamente com Alex Har e Frederico Melo e participou do 15º Querência do bugio de São Francisco de Assis no ano de 2013 . A letra da música inspirou os artistas que tiveram a idéia de transforma-la em um vídeo clip que ganhou vida pelas lentes de Leonardo Gadea (Gadea produções), Erick Corrêa e Rafael Caggiani  .

Para Alex Har ,  a realização do projeto é uma grande felicidade pelo fato dele  poder cantar a sua terra em poema e melodia .“ Cantar a terra, nossa essência, nosso território de fronteira sem limitações , essas ideais ganham magnitude através do esteio dos profissionais que nos acompanham nesta empreitada , agradeço a todos eles” comenta o cantor

  As captações ocorreram na localidade do Passo da Tafona, 4º Distrito de Santana do Livramento , na propriedade de René Dutra Ecoten , que inclusive cedeu gentilmente um cavalo e os arreios para gravação das cenas de campo . O vídeo clip está em fase de pós produção e edição e será um trabalho que com certeza vai ser motivo de orgulho para os Santanenses pois o vídeo será divulgado para o mundo na internet , mostrando um pouco das belas paisagens desta fronteira bem como um jovem cantor que já conquistou seu espaço no nativismo gaúcho .  


Shana Müller: "Tem me cansado o uso do tal gentílico gaudério"


A colunista escreve mensalmente no Segundo Caderno da Zero Hora

Preciso confessar: já me tem cansado o uso do tal gentílico gaudério. Não é a primeira vez que expresso meu descontentamento com rótulos ao se tratar de arte e principalmente de música. Rótulo, para mim, tem que estar em produto alimentício, remédio, detergente de louça... Rótulo serve para prevenir, informar, esclarecer. Música precisa de emoção e de liberdade para sentir.

Há poucos dias, reli um texto em que o escritor Tabajara Ruas, com muita propriedade, falava sobre o talento e a obra de Jayme Caetano Braun. Quem não conheceu o pajador enquanto vivo, sua genialidade do improviso, pode ainda deleitar-se com os registros de seus versos em décima tratando desde temas políticos e questões sociais, passando pelo amor pela "china". E, sim, descrevendo um Rio Grande romântico de galpões e fogo de chão que só quem ama sua querência, suas raízes, pode escrever. (Assim fez também Jorge Amado – e isso não é uma comparação – ao falar do mar e das paisagens da sua Bahia). Jayme foi um poeta gaudério. E só isso?

Para quem se dedica à arte e tem como tema o Rio Grande do Sul, cumprir tal tarefa não é nada fácil. Muitas vezes, a gente se encontra numa espécie de buraco negro: o que eu canto não é música brasileira, o mercado artístico no qual trabalho está restrito à região sul, pois fora daqui "não entendem o que eu canto". E aí a gente canta no Rio Grande do Sul, e muitos dos gaúchos não conhecem os artistas que aqui trabalham e justificam tal "ignorância" com a frase: "Ah, eu não participo de CTG ou não participo desse mundo gaudério".

Fico intrigada com o fato de ser artista de um Estado que não tem bem certeza de qual é sua própria regionalidade; que a subdivide, que não a conhece, que não a reconhece. É mais fácil ficar nesse lugar de "Ah, eu não sei, não conheço", sentar na frente da TV e criticar o programa que recebe gente do samba, do sertanejo, do funk.

Você se sente ofendido? Você se sente excluído? Acha que aquela cultura não o representa? Então está na hora de descobrir com o que você se identifica, sair da zona de conforto, informar-se. Sentar na frente da TV com o controle na mão e só mudar de canal não será suficiente. Você pode descobrir, aprender, respeitar.

E entender que música é música e que tem gente a seu lado cantando coisas com as quais você pode se identificar e pasme: se emocionar!